História do Pastor Ducler de Oliveira

A história de vida do Pastor Ducler remonta ao dia 01 de maio de 1941, uma quinta-feira, onde nascia o terceiro filho de Cícero e Idulmira, casal que se mudara para o recém inaugurado bairro do Parque Peruche na região da Casa Verde, zona norte da capital paulista. O bairro estava iniciando um loteamento e seu pai decidiu comprar ali um terreno e construir a casa da família.

Passados três anos, o evangelho entrou neste lar, onde sua mãe e um depois, seu pai, se decidiram a Cristo no templo da Igreja Evangélica Assembléia de Deus do bairro, onde ainda se encontra no mesmo local.

Começava aí uma vida de dedicação ao Senhor. O casal que criara os filhos na casa do Senhor, viu na adolescência Ducler conhecer um trabalho de missionários norte americanos que chegou ao bairro, trazendo um jeito diferente de pregar o evangelho; usando uma tenda semelhante a um circo, os pregadores usando do slogan “CRUZADA NACIONAL DE EVANGELIZAÇÃO”, entoava músicas de fácil assimilação, alegres, com instrumentos que na época não se costumava usar em templos; músicas estas que logo cativaram os frequentadores da “tenda”. Mas o que mais impressionou o então adolescente, foram os milagres e demonstração do poder de Deus naquele lugar. Ali ele presenciou curas miraculosas, libertações e vidas que se entregavam ao Senhor diante das pregações daqueles missionários norte-americanos.

Foi o que bastou para ele e seu irmão, atualmente Apóstolo Doriel de Oliveira, da Casa da Benção, em Brasilia-DF, também bem jovem à época, para se entregar para aquilo que se sentiam chamados: “serem obreiros e pregadores do evangelho”, mas não de qualquer evangelho, mas de um evangelho que transformava, curava e libertava, algo como assistiam nas noites de cultos nas tendas dos norte-americanos.

Foi então que aos 17 anos, em 1958 desceu às águas e começou a pregar o evangelho com este seu irmão, comprando folhetos e divulgando aquilo que o Senhor fizera em seu coração: uma profunda transformação e chamada para uma Obra ainda maior.

Mas faltava uma coisa que os missionários norte-americanos tinham, um algo a mais que diferenciava – era poder, virtude, autoridade. Em 1959 veio o batismo no Espírito Santo, junto com um revestimento fora do normal. Ele sabia que aquilo era sobrenatural. E Deus cumpriu com sua promessa. Logo foi separado ao diaconato.

Muitos foram os cultos em áreas livres – O Parque da Luz, A Praça do Correio. São Paulo era outra. Os bairros começavam a ser povoados naquele fim da década de 50 para começo da de 1960, e o que não faltava era gente precisando de esperança e de uma palavra de fé e de milagre. Agora, Ducler e seu irmão tinham esta Palavra que transformava as pessoas.

Uma campanha evangelística realizada no Estado do Rio de Janeiro trouxe uma exata dimensão daquilo que o Senhor tinha reservado para sua vida. Um ministério onde pessoas seriam transformadas, pois foi exatamente isto que presenciou naquele lugar – curas milagrosas, pessoas transformadas pelo poder de Deus.

Por esta época, conheceu e foi trabalhar com o missionário Manoel de Melo, sendo seu obreiro, ajudando a fundar o Ministério da Igreja Evangélica Pentecostal O Brasil Para Cristo. Por ser voluntarioso, já presbítero da igreja, foi enviado à filial no bairro do Jaçanã, no ano de 1960. Quis a vontade de Deus, que Ducler e seu companheiro de evangelismo, seu também irmão carnal Doriel, se separassem, indo aquele para Belo Horizonte e este permanecesse em São Paulo.

No ano de 1963, após outras experiências profissionais, foi contratado pelo Hospital do Câncer, onde permaneceu como funcionário desta instituição por 29 anos, recebendo elogios como funcionário exemplar de sua fundadora, Dona Carmem Prudente, conforme presenciou seu segundo filho certa vez: “… quiséramos nós ter mais funcionários aqui como o vosso pai.”

No ano de 1965, contraiu matrimônio com a jovem Maria Angela Bento dos Santos, após dois anos e quatro meses de namoro e noivado. Em 1966 nasce seu primeiro filho, Adilson Wlaufredir de Oliveira, hoje casado e pastor em Brasilia-DF. Em 1967 é consagrado ao pastorado pelo Reverendo Sir Martins e funda a Igreja Evangélica Pentecostal Betânia, no mesmo bairro onde chegou para dirigir uma congregação, Jaçanã – São Paulo. Em 1968 nasce seu segundo filho que leva seu nome, Ducler Wlaufredir de Oliveira Junior, hoje casado e pastor da Igreja Betânia, no Templo Sede. Em 1970 adquire uma propriedade para a construção do templo sede, o que faz logo após, construindo e inaugurando a primeira fase do templo. Em 1973 nasce seu terceiro filho, Eduardo Wlaufredir de Oliveira, hoje casado, residindo em Guarulhos, na Grande São Paulo.

A morte de seu pai no ano de 1971 foi um “baque” muito grande, pois além de tê-lo como exemplo de homem fiel, honesto, trabalhador e generoso, com a sua ausência as conquistas vindas nos anos seguintes não puderam ser compartilhadas com aquele com quem aprendeu a honradez e o brio. Tesoureiro de sua denominação, irmão Cícero, como era chamado e conhecido, deixou o legado de fidelidade, onde até os últimos dias conservou um comportamento que colheu recebendo a consideração dos pastores e obreiros que o visitaram durante a enfermidade.

Nos primeiros 10 anos de seu pastorado, o Pastor Ducler viu a denominação da qual fundara, crescer na própria localidade, ganhando almas e recebendo irmãos que escolheram juntar-se com ele neste ministério.

Na segunda década de pastorado, abriu a primeira filial, coadjuvado pelo Pastor Benigno de Carvalho Vilar, de saudosa memória, no bairro do Jardim Brasil.

Na terceira década de pastorado, enfrentou o desafio de ir fincar estacas no interior de São Paulo, onde para isto contou com a ajuda do Pastor Odayr Ambrosio de Matos para realizar tal tarefa.

Na quarta década de seu pastorado, criou a introduziu a Convenção Nacional, implementando um sistema de unidade da denominação, tendo a primeira edição no ano de 1992. Contrariando expectativas negativas, a Convenção Nacional da Igreja Betânia fortaleceu-se, dando ao Ministério Betânia musculatura para o fortalecimento eclesiástico.

Na quinta década de seu pastorado, criou e introduziu a Escola Bíblica de Obreiros, fornecendo aos obreiros da denominação, estudo teológico de fácil acesso para preparar-lhes melhor para a vida pastoral, evitando com isto, heresias que porventura viessem a minar o Ministério Betânia.

No ano de 1999 veio outra perda que foi a passagem para as mansões celestiais de sua progenitora, irmã Idulmira. Muito ligado a ela, sendo o caçula e o mais próximo, sentiu muito a sua falta, mesmo ela estando já muito idosa.

Como o Senhor honra os que o honram, com o desenvolvimento da atividade pastoral veio o reconhecimento da Sociedade Bíblica do Brasil, do qual hoje faz parte da Secretaria Regional, e o reconhecimento da Câmara dos Vereadores do Município de São Paulo, por meio da Vereadora Noemi Nonato, que concedeu Menção Honrosa ao Pastor Ducler Wlaufredir de Oliveira, por serviços prestados à Comunidade. Veio ainda o convite de ser o Vice-Presidente do Conselho de Pastores da Zona Norte de São Paulo, através do Bispo Antonio de Oliveira, onde todos o têm como um Pastor a ser ouvido e voz a ser consultada em todos os momentos.

Seu próximo projeto está em escrever sua autobiografia, onde pretende relatar tudo aquilo que presenciou, viu e participou nos púlpitos e na vida eclesiástica, nas campanhas evangelísticas e nos cultos de oração, nas vigílias e nas reuniões de obreiros, nos congressos e nos cultos nos lares, nas convenções e nas visitas, em nossa denominação ou em outro “arraial”. Estes e outros tantos compromissos que a atividade pastoral lhe proporcionou, são situações que tem guardado em sua memória. São casos narrados por obreiros com os quais conheceu e conviveu, que participaram de momentos importantes que tem guardado consigo, onde pretende retratar em livro para as próximas gerações. Para isto tem recebido incentivo de diretores de seminários, pastores, missionários, presidentes de campo, bispos e presidentes de conselho de pastores, que sabem que o mundo evangélico não pode perder tamanha informação e a geração futura precisará conhecer e saber de fatos que se refletem nos dias atuais.

Neste breve relato, não fizemos constar de maneira proposital, por se tratar de dia festivo, os dias em que as lágrimas brotaram nos olhos, por ingratidão, incompreensão, traição ou abandono. Durante estes anos muitos foram pelo Pastor Ducler ajudados e não retribuíram, visitados e não se lembraram, socorridos e se esqueceram, presenteados mas não estimaram. Houve dias de tempestade, de deserto, de vale, de aperto. Mas chegar a esta idade com esta disposição é como estar “junto a ribeiros de águas, cujas folhas não caem”. Pastor Ducler sempre soube que a atividade pastoral não tem galardão e reconhecimento nesta vida. Tem cumprido seu papel de sacerdote, servindo ao seu Senhor, procurando cumprir seu chamado até Aquele Dia, do qual entregará aquilo que lhe foi confiado. Um homem que pôs a Obra de Deus acima de seus interesses, a vontade de Deus acima de seus objetivos, e que fez do pastorado um sacerdócio, o servir acima de seu conforto.

Nosso Presidente é Merecedor…

Por estes e outros motivos não relatados acima, é que, por merecimento, o Presidente Nacional da Igreja Evangélica Pentecostal Betânia é e continuará sendo por muito e muito tempo, o Pastor Ducler Wlaufredir de Oliveira; Homem íntegro, Homem de Deus, que sempre buscou o bem-estar de todos os membros de todas as nossas Congregações.

Parabéns!

Pastor Ducler, assim como o Profeta Samuel se expressou, que neste dia você também possa afirmar: “Até aqui me ajudou o Senhor”. Parabéns, pelos seus 50 Anos de Ministério.